sexta-feira, 24 de agosto de 2007

INTERNET, uma caixa(rede) de Pandora

Há alguns anos atrás, mais precisamente três anos, em uma das aulas no curso de Comunicação Social, na disciplina de Novas Tecnologias, ministrada pelo nosso queridíssimo e expert no assunto, o professor Fernando Milanni, anunciei num momento da apresentação de um trabalho que não gostava muito de Internet – acho que assustei um pouco o pessoal, ou pelo menos, me acharam louca – como pode uma pessoa que pretende se formar jornalista, em pleno século XXI, não simpatizar com a Internet, uma ferramenta indispensável para a prática da comunicação dos tempos modernos ou pós-modernos, como queiram? Foi o que deve ter pensado algumas daquelas pessoas que ouviam-me naquele momento. O mesmo professor, num momento de surpresa, me indagou subitamente... - Mas por que ? Eu, ingenuamente o respondi. – Professor não sei! Acho que é mal de historiador.
Pois bem! A mesma historiadora que deu essa resposta, hoje se surpreende com os benefícios desse meio não só para a área da comunicação, indiscutivelmente, como também, para a própria área da história. Ao desenvolver um trabalho sobre a história da publicidade televisiva, me veio logo uma preocupação. Como conseguir as tais fontes (imagens remotas de comercias veiculadas nos primeiros anos de transmissões televisivas no Brasil)? pois sabemos que preservação de memória nesse país está em segundo, terceiro, quarto... plano e o acesso ao que se tem é mediado por uma burocracia morosa, desculpem-me a redundância.
Mas, lembrei-me que havia um site de vídeos, o famoso youtube, aquele dos vídeos engraçados, bizarros, sem graça, de fofocas, polêmicos. Quem não viu a Daniela Cicarelli “namorando” na praia? Mas, entre essas variedades de vídeos que expessão muita ou pouca criatividade dos seus criadores, tive a grata satisfação de encontrar pessoas que, talvez nem saibam, estão contribuindo, e muito, para a preservação da memória da televisão brasileira, e não só, estão enriquecendo ou até mesmo facilitando a vida de pesquisadores da mídia televisiva do Brasil principalmente, no que diz respeito, a publicidade e a propaganda. Comerciais, jingles, da década de 60, 70; imagens, ainda dos primeiros anos da TV Tupi, primeira emissora da America Latina, podem ser encontradas nesse site; é um acervo, sem dúvida nenhuma, valiosíssimo. Declaro aqui minha gratidão a esses gênios colaboradores do youtube por dividirem com nós essa memória.
Ah! E se antipatia a Internet for mal de historiador, considero-me uma historiadora a frente do meu tempo...sem nenhuma pretensão!

4 comentários:

Paula disse...

Caixa de Pandora? Eita!! Que caixa boa!! Quero abrir uma dessas na minha pesquisa. rsrsrs
Concordo com você quando diz que a net ajuda no trabalho do historiador, já consegui muitos artigos, teses, dissertações e contantos importantes para minha pesquisa.
Pena que a net, assim como a caixa de Pandora, também tem seus males, há que se ter cuidado com os usos negativos que fazem da web. Usos negativos e muitas vezes criminosos como sites de pedofilia, apoio a discriminação racial e outros e outros. Nosso trabalho enquanto pesquisadora é também lutar contra esse tipo de uso da net.

Beijossssssss

gisa.historia disse...

SILVIA,
MAIS UMA VEZ VC NOS SURPEENDE COM SUA CRIATIVIDADE DE HISTORIADORA E JORNALISTA, POIS AO TECER UM COMENTÁRIO SOBRE OS USOS E ABUSOS DA INTERNET,VC COLOCA O HISTORIADOR NO FIO DA QUSTÃO E CRIA UMA POSTAGEM MARAVILHOSA,POIS AO PASSO QUE VC INDICA OYOUTUBE,E A NET PARA PESQUISA,VC TBM,RESSALVA QUE A MESMA DEVE SER USADA COM CAUTELA,E O MELHOR FOI O TÍTULO...CAIXA DE PANDAORA...MARAVILHOSO!!!
PARABÉNS,PELA JORNALISTA E HISTORIADORA QUE VC SE TORNOU...
BJSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Taty Valéria disse...

KKKKKKKK!!!!!!!
Mulher, você não foi a única que maldisse os benefícios das novas tecnologias.
Mas como todas as coisas do Universo, a Inernet também teu seu lado bom, e um deles é poder ler o que você escreve.
E antes que eu me esqueça, ai que saudades daquele tempo...

JORNALISMO MÓVEL disse...

Silvia, vc cria seu blog e nem avisa aos amigos (rs). Vi o seu comentário aí sobre novas tecnologias e me lembro bem desse dia. Bom que vc mudou de idéia (mesmo considerando que também tinha o direito de não gostar). A Tatiana também era outra. Agora só vive nas navegações. Parabéns pelo seu blog. Se já era uma excelente jornalista é uma impecável historiadora. Jornalismo e história andam juntos. Sucesso no blog. E como disse Tatyana "que saudade daqueles tempos". Mas fico feliz em saber que a INTERNET continua aproximando todos e deixando vivo o PARA ONDE VAMOS.

beijos

fernando f. silva